14% OFF

Envio para todo o país

Saiba os prazos de entrega e as formas de envio.

Estoque disponível

14% OFF

Características principais

Fabricante
Plante Pássaros Sementes e Mudas
Marca
Sementes Plante Pássaros
Tipo de plantação
Nativa Cerrado Frutifera
Tipo de sementes
Cajueiro (Anacardium occidentale)
Peso da unidade
0.01 g
Formato de venda
Kit
Unidades por kit
15

Outras características

  • É kit: Não

Descrição

Contém 15 Sementes Caju ou Cajueiro (Anacardium occidentale) + Manual de Cultivo

Criada em 2012, a Plante Pássaros nasceu com o objetivo de atender as necessidades de um mercado escasso para Sementes e Mudas Nativas. Estamos a mais de 10 anos trazendo com qualidade, a maior variedade de espécies do Mercado.

Todas nossas sementes são previamente testadas em nosso Laboratório e Viveiro. Tudo para trazer até você a melhor experiência no plantio e cultivo de suas sementes.

Para comprar vários produtos em um ÚNICO FRETE, utilize o botão "ADICIONAR AO CARRINHO" para cada produto do mesmo vendedor.

Sobre a espécie:

A castanha de caju é hoje um produto de base comum em todas as regiões com um clima suficientemente quente e úmido, repartindo-se por mais de 31 países, para uma produção anual, em 2006, de mais de três milhões de toneladas, segundo números da FAO[13](Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação). A área total de cultivo é de 54.570 km²[14], para um rendimento médio de 814 kg/hectare.

A produção de caju no Brasil é realizada quase que exclusivamente no Nordeste. A área ocupada com cajueiros no Brasil em 2017 foi calculada em 505,5 mil ha; desse total, 99,5% está localizado no Nordeste. Os principais produtores dessa região são o Ceará (61,6% da área nacional), Rio Grande do Norte e Piauí. Porém, o Brasil, que em 2011 era o quinto maior produtor mundial de castanha de caju, em 2016, caiu para a 14ª posição, com 1,5% do volume total de castanha produzido no mundo. O Vietnã, a Nigéria, a Índia e a Costa do Marfim foram os maiores produtores mundiais de castanha de caju em 2016, com 70,6% da produção global. Nos últimos anos, tem ocorrido acirramento da concorrência com alguns países africanos, onde programas governamentais têm impulsionado a expansão da cultura e da capacidade de processamento. Estima-se que em 295 mil toneladas por ano a capacidade instalada de processamento de castanha de caju no Nordeste, porém, a Região só conseguiu produzir em torno de um quarto dessa quantidade. Dentre os principais produtores mundiais, o Brasil é o que possui a menor produtividade. Diversos fatores são apontados como causa da baixa produtividade e da queda na produção brasileira de castanha de caju. Um dos motivos é que a maior parte dos pomares está em fase de declínio natural da produção. Além disso, os cajueirais gigantes, que são maioria na Região, são explorados de forma quase extrativista, com baixa utilização de tecnologia.