Precio anterior: 58 reales con 71 centavos
52 reales con 83 centavos10% OFF

em 12x 4 reales con 40 centavos sem juros

Envio para todo o país

Saiba os prazos de entrega e as formas de envio.

Estoque disponível

Devolução grátis

Você tem 30 dias a partir do recebimento do produto para devolvê-lo, não importa o motivo!

Garantia

Compra Garantida com o Mercado Pago

Receba o produto que está esperando ou devolvemos o seu dinheiro

Garantia da loja

Sem garantia

Características principais

FabricantePlante Pássaros
MarcaPlante Pássaros
Tipo de sementesreflorestamento
Unidades por embalagem1
Peso da unidade2 g
Formato de vendaKit
Unidades por kit500

Outras características

  • É kit: Não

Descrição

Contém 500 Sementes De Pinheiro Pinus Elliote, Pinho (Pinus Elliotti) + Manual de Cultivo

Sementes de coleta própria, armazenadas em câmara fria para garantir a viabilidade.

Calculo do Frete pelo sistema "Mercado de Envios" no topo da pagina, com garantia de entrega dos Correios e Mercado Livre.
Para comprar vários produtos do mesmo vendedor, pagando um único valor de frete, utilize o botão na cor branca "Adicionar ao Carrinho".

Sobre a espécie:

típica e ocorre no sul dos Estados Unidos, onde é amplamente plantada para a produção de madeira destinada ao processamento mecânico, bem como para a produção de celulose, papel e extração de resina; e a var. densa. Esta variedade ocorre em área com temperaturas mais elevadas, em baixa altitude, restrita ao extremo sul do estado da Flórida, onde ocorrem chuvas estacionais, predominantemente no verão, com pequena deficiência hídrica no inverno e na primavera. Em comparação com a variedade típica, a variedade densa caracteriza-se pelo crescimento mais lento, acículas mais longas e densas, ramos mais grossos, madeira mais dura e densa (0,89 g/cm-3), casca mais grossa e cones menores. Além disso, esta variedade apresenta estágio de grama em sua fase de mudas, com raiz pivotante vigorosa e as árvores adultas com copa irregular. Devido à baixa produtividade de madeira, esta variedade não despertou interesse para plantios comerciais.

No Brasil, a var. elliottii dessa espécie é a mais plantada nas regiões Sul e Sudeste. Porém, em menor escala do que P. taeda, visto que sua madeira não é usada pelas indústrias de celulose e papel, e sim na produção de madeira para processamento mecânico e na extração de resina. Em comparação com P. taeda, P. elliottii apresenta as seguintes características marcantes:

exsudação de resina mais abundante pelos cortes e ferimentos na madeira, ramos e acículas;
acículas mais densas, longas e de coloração mais escura;
cones pedunculados com escama sem espinho.
A produção brasileira de resina de P. elliottii, em grande parte, teve início no final dos anos 1970, tornando-se o maior produtor na América do Sul. Atualmente, o Brasil é o segundo país exportador de goma-resina, com uma produção em torno de 106.366 toneladas por ano. A produção anual média varia em torno de 2,0 kg em árvores sem melhoramento genético. Genótipos geneticamente melhorados mediante seleção de matrizes mais produtivas, a produção anual pode passar de 10,0 kg por árvore. Esta variedade cresce mais do que P. taeda em regiões de baixa altitude, como na planície costeira de toda a região Sul, desenvolvendo-se bem, mesmo em solos com lençol freático próximo à superfície.

P. elliottii var. elliottii ocorre naturalmente no Sul e Sudeste dos Estados Unidos, desde a planície costeira do sul da Carolina do Sul (33° 30´ N) até a região central da Flórida e, para oeste, até a Louisiana. O clima predominante na região de ocorrência natural caracteriza-se pelos verões chuvosos, com precipitação pluviométrica média anual em torno de 1.270 mm e temperatura média anual de 17 °C, ocorrendo, esporadicamente, temperaturas extremas de 18 °C até 41 °C. No Brasil, esta variedade requer clima fresco com inverno frio e disponibilidade de umidade constante durante o ano.

Ela é indicada para plantio em toda a região Sul e Sudeste do Brasil. No entanto, a atividade de extração de resina deverá ser restrita às regiões com períodos mais prolongados de temperaturas altas do que no planalto sul, para se obter maior rendimento. Por exemplo, nas planícies costeiras e nas áreas de transição para a região tropical (região de cerrado nos estados do Paraná, São Paulo e Minas Gerais). A região mais apropriada ao seu maior crescimento e produtividade de madeira avança até os Cerrados no sul do Estado de São Paulo, onde as altas temperaturas e a ocorrência de deficiência hídrica, em parte do ano, limitam o desenvolvimento de espécies como P. taeda.

De maneira geral, P. elliottii apresenta um incremento volumétrico menor do que P. taeda. Mas, a sua produção de madeira adulta inicia-se mais cedo, a partir dos sete a oito anos de idade, ao contrário de P. taeda, que começa com 12 a 15 anos. Esta característica apresenta um diferencial importante para a produção de madeira, destinada ao processamento mecânico, visto que a madeira de P. elliottii apresenta melhor qualidade física e mecânica do que a de P. taeda.